Fotografo: Ilustração.
...
Ação policial.

O corpo de um bebê de apenas cinco meses de vida que estava desaparecido foi localizado morto dentro de um poço, em um chácara às proximidades do Córrego Sereno, na zona rural da cidade Tabaporã (Norte, a 650 quilômetros de Cuiabá). Os próprios pais indicaram onde estava o corpo do filho, materializando o crime de assassinato.
 
A localização do cadáver do menininho foi confirmada pela Polícia Civil da cidade de Sinop (Norte, a 500 quilômetros de Cuiabá). O casal já está preso e confessou o crime.
 
O corpo, segundo a Polícia Civil que segue investigando o caso, foi localizado no fundo do poço por volta das 22 horas desta quinta-feira, 9. Pai e mãe do bebê assassinado por afogamento e ocultação de cadáver, foram presos cidade de Jataí, no interior de (GO).
 
Segundo a Polícia Civil de Mato Grosso, o casal já foi interrogado pelo delegado Marlon Souza Luz, e acabou confessando a autoria do crime e indicaram o local onde haviam jogado o filho.
 
O casal, segundo ainda a Polícia, será recambiado nos próximos dias para Mato Grosso, onde foi aberto um inquérito policial para investigar o caso e a Polícia já teria representado para prisão preventiva do casal, que foi autuado em flagrante na cidade de Jataí.
 
A principal suspeita antes da localização do corpo do bebê dentro de um poço, era que o menino tivesse sido jogado dentro do Córrego Sereno, onde o carrinho de bebê foi localizado, quando a da Polícia Civil fez a denúncia contra o casal e pediu apoio do Corpo de Bombeiros para fazer buscas.
 
O casal que ainda não teve seu nome divulgado, segundo a Polícia Civil, já havia sido preso uma vez por maus-tratos ao mesmo filho, quando o garotinho foi retirado da guarda dos pais por um período em uma Casa de Apoio.
 
Só que, por determinação da Justiça de Mato Grosso, ainda não se sabe com que alegação, a criança foi devolvida aos pais, mas agora a criança está morta.
 
Pelo crime hediondo contra uma criança de apenas cinco meses de vida, sem nenhum tipo de defesa, os pais, se condenados, podem pegar uma pena máxima de 30 anos de reclusão em regime fechado cada um. Pena que ainda pode ser aumentada pela crueldade do crime e pela ocultação do cadáver.