0

Portal fundado aos 11 de setembro de 1990 pelo CEO fundador Eraldo Mendes

Cidadão Repórter

65992814942
Várzea Grande(DF), Quinta-Feira, 03 de Dezembro de 2020 - 19:31
09/06/2020 as 08:19 | Por Da Redação | 729
Coronel da PM assume Superintendente da Vigilância Sanitária em VG.
Prefeita reafirma o combate a pandemia e garante transparência em ações e aquisições
Fotografo: Assessoria.
Reunião do grupo´de-enfrentamento a COVID 19.

 
Após confirmação do Coronel da PM, Alessandro Ferreira da Silva como novo Superintendente da Vigilância Sanitária em Várzea Grande e a requisição de maior efetivo da Polícia Militar, Corpo de Bombeiro e Vigilância Sanitária ao Governo do Estado, a prefeita Lucimar Sacre de Campos em reunião do Comitê de Enfrentamento ao Novo Coronavírus (Covid- 19), formalizou ontem (8) para um grupo de vereadores liderados pelo presidente, Fábio Tardin (DEM), a participação de um representante do Legislativo no Comitê.
“Formalizamos o convite para a Câmara Municipal que indicou o presidente da Comissão de Saúde, o vereador e médico, Miguel Angel Claro Paz, no intuito de dar ainda mais transparência em busca de resultados para a população, pois os benefícios são todos para eles e não para nós governantes”, assinalou a prefeita.
Lucimar Campos reafirmou o endurecimento na fiscalização para se evitar a aglomeração das pessoas e evitar a propagação do vírus e anunciou a divulgação do 40° Informe Epidemiológico que apresenta dados de incidência da enfermidade, bem como sua possibilidade de crescimento e aumento nos casos, o que se tenta evitar para não decretar o lockdown e a paralisação total de qualquer atividade do município.
“Nosso interesse maior é unir esforços com a população para enfrentar mais este desafio que provoca muita instabilidade emocional em todos indistintamente”, assinalou a prefeita de Várzea Grande.
A grande preocupação colocada pela chefe do Poder Executivo e que consta do Informe Epidemiológico está no fato de que se continuar a atual incidência do Covid-19, em 07 de setembro a cidade atingiria o pico da mesma, com aproximadamente 16.500 casos, para mais ou para menos dependendo das medidas que forem adotadas agora como isolamento social com Home Office para aqueles que podem e trabalho com medidas de segurança como distância de 1,5 metros entre as pessoas, uso continuo de máscaras e luvas quando necessário e meios de higienização como água e sabão e álcool gel.
 
Hoje Várzea Grande tem cerca de 375 casos e 20 óbitos, um número considerado inaceitável pela prefeita que reafirmou todo o esforço e dedicação para se superar as adversidades impostas pela doença que já contaminou 7 milhões de pessoas em mais de 188 países em todo o Mundo com 405 mil óbitos dos quais mais de 36 mil no Brasil.
 
“Desses 375 casos, temos 120 recuperados. Dos demais 255 ativos, os cálculos apontam para 10,43% de necessidade de internação em UTI e enfermarias. Se chegarmos a 16.500 casos em setembro e necessitarmos dos 10,43% dos casos ativos, de internação, seria preciso mais de 1,5 mil leitos apenas para atender Várzea Grande, um verdadeiro colapso no sistema de saúde público e privado”, disse o secretário de Saúde de Várzea Grande, Diógenes Marcondes lembrando não existir vacina e tratamento eficaz comprovado, apenas medidas de isolamento social e higienização rigorosa.
 
Ela anunciou aos vereadores transparência total nas aquisições e que a ordem é que as compras levem em consideração a qualidade dos produtos ou máquinas adquiridas, menores preços e sempre a opção pela rápida e eficiente entrega. “Recursos disponíveis para o enfrentamento estão assegurados, agora toda e qualquer aquisição realizada vai ter pagamento imediato desde que os produtos sejam de qualidade e tenham serventia para atender as demandas”, frisou Lucimar Sacre de Campos.
 
O presidente do Comitê de Enfrentamento ao Novo Coronavírus (Covid - 19), Silvio Fidélis ponderou que o planejamento das ações municipais é voltado para conscientizar a população da importância que a mesma tem para ajudar o Poder Público a fazer o enfrentamento à doença.
“Precisamos aliar medidas de impacto com a inteligência de ações que nos ajudem a enfrentar a pandemia com os instrumentos que temos. O desrespeito às regras impostas pelas autoridades sanitárias será uma das medidas de maior impacto para evitar a propagação da doença”, disse Silvio Fidélis.
 
Por: Da Redação - Secom/VG




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil