Portal fundado aos 11 de setembro de 1990 pelo CEO fundador Eraldo Mendes

Cidadão Repórter

65992814942
Várzea Grande(DF), Sábado, 23 de Janeiro de 2021 - 17:02
09/01/2021 as 07:21 | Por O DOC. | 154
Emanuel Pinheiro dispara contra bancada do MDB da AL e chama de 'vaquinha de presépio'.
A quebra de "braço" entre Pinheiro e Mendes agora atinge também deputados.
Fotografo: Divulgação.
Emanuel Pinheiro.

O prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) disparou duras críticas aos seus colegas de partido que votaram no início da semana na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) favoráveis à troca do Veículo Leve sob Trilhos (VLT) pelo ônibus de trânsito rápido (BRT). O gestor chegou a chamar os deputados estaduais de "vaquinha presépio" por apoiarem o governo do Estado.


"Uma votação sem nenhuma discussão, em que a minha bancada inteirinha, como vaquinha presépio, foi e votou com o governador do Estado sem discutir, sem conhecer nada da realidade do que é melhor para a população cuiabana. Isso me indigna. Que partido é esse que está totalmente desconectado com as ruas? Totalmente desconectado com o sentimento popular?", explanou nesta sexta-feira (8).

 

Segundo o prefeito, ele não quer estar em uma sigla que não se importa com a população e os sentimento das ruas, mas que respeita o MDB devido à liderança do presidente estadual, deputado federal Carlos Bezera.


"Não me interessa um partido com esse comportamento, sem nenhum compromisso com o povo, sem nenhum compromisso com o sentimento das ruas. Mas gosto do MDB, respeito demais a história e a biografia do Carlos Bezerra, para mim uma das maiores lideranças políticas do estado, mas ele que tem uma vida pautada na democracia, na resistência e na articulação com os segmentos organizados da sociedade deve trabalhar para que o MDB retome o seu rumo histórico, inclusive sob a liderança dele, que cresceu na vida pública mato-grossense e nacional ouvindo as bases e respeitando o sentimento das ruas", justificou.


O emedebista ainda afirmou que o voto dos deputados estaduais da sigla está em desencontro com o sentimento do cuiabano e que nem ao menos foi consultado sobre essa decisão pelo correligionários.


"Essa votação do VLT x BRT na Assembleia foi o símbolo do descompasso do meu partido com as ruas. Como uma bancada da AL, que tem o prefeito da Capital reeleito sem o apoio deles, não me consulta para saber se deveria votar ou não votar? Pelo menos uma discussão. Não me consultaram, nenhum telefone eu recebi", desabafou.


Pinheiro também questionou a forma com que foi realizada a votação. "Com que conhecimento eles podem decidir o destino do transporte público que atende milhares de pessoas que não têm carro? Eles decidiram sem consultar ninguém. Na calada, numa votação de urgência, urgentíssima e não ouviram o prefeito da Capital, do partido deles, reeleito agora. Então não podemos tapar o sol com a peneira". 


Sobre sair da partido, Emanuel repetiu por mais uma vez que não pensa no assunto e que é normal ter divergências de opiniões.


"Eu não penso em sair do partido agora até porque são divergências de opinião, você não pode agir como garoto mimado, ‘se não é como eu quero eu vou sair’? Não. Eu vou defender o que eu acredito e que é bandeira do MDB e tentar convencer a maioria do partido que essa reoxigenação, esse respeito ao resultado das urnas, é necessário", finalizou.




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil