Fotografo: SICOM
...
Demissão de maus gestores.

Doze servidores do Hospital Municipal de Cuiabá (HMC) foram demitidos na segunda-feira (6). Os funcionários eram comissionados e foi comprovado o desvio de conduta, como informou o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), em evento na manhã desta terça-feira (7).

“São 1300 servidores, a maioria é comprometida, mas tem aqueles relapsos, que não querem trabalhar, que empurram com a barriga e não vão ter vez na nossa gestão. Já detectamos que entupiram o vaso de propósito, jogou camisa, lençol. Só faltava jogar travesseiro no vaso sanitário do centro cirúrgico. Estamos desligando aqueles que não estão comprometidos e não querem trabalhar para o povo”, revelou o gestor.

 

Segundo ele, foi feita a investigação e constada a culpa dos servidos pelos danos. Pontuou que não vai ficar na gestão quem não tem comprometimento com o serviço público. “A orientação é não dar vida fácil para quem não quer trabalhar, que atende mal a população”, frisa.

 

Pinheiro pontua que as demissões ocorrem toda a semana, para que sejam mantidos no quadro de servidores apenas os que realmente se comprometem com o serviço. No entanto anunciou hoje para que fique clara a providência tomada pela gestão.

 

Questionado sobre a greve os médicos, anunciada na semana passada, o gestor pontua que não há motivo para medida extrema e que não foi procurado para tratar do assunto.

 

“Não conversaram comigo e já começaram o ano anunciando essa greve em nível municipal e estadual. No que depender de mim e estiver dentro das possibilidades no município estamos prontos para avançar. Queremos melhorias, sempre, para a população”, pontua.

 

Pinheiro afirma que não existe salário atrasado. Esclarece que houve um problema com o pagamento do adicional de insalubridade, mas que isso será resolvido nos próximos dias. “Quem tiver direito vai receber. Respeito muito os profissionais e acredito que irá dar tudo certo”.

 

Greve

Os médicos participam de Assembleia Geral na quarta-feira (8) para debater a terceirização dos serviços, atraso no pagamento do décimo terceiro salário, pagamento de adicional de insalubridade, condições de trabalho e indicativo de paralisação.