Fotografo: Divulgação.
...
Mauro Mendes.

O governador Mauro Mendes e o superintendente da Caixa Econômica Federal em Mato Grosso, João Henrique Cruz de Oliveira, assinaram, esta manhã, contrato de operação de crédito de R$ 550 milhões para a construir pontes de concreto, comprar equipamentos rodoviários, materiais e insumos destinados à execução de obras de infraestrutura em Mato Grosso. Mauro afirmou que os recursos são fruto de um trabalho que se iniciou logo nos primeiros meses desse ano, resultando neste programa que é considerado o maior já lançado no Brasil para a construção de pontes de concreto e obras de arte especiais. “Assinamos em tempo recorde. Conseguimos tramitar esse processo de março até agora mesmo em um momento de pandemia. Esse recurso vai ser investido na infraestrutura do Estado. Será o maior programa brasileiro hoje em execução, para construção de pontes. Fico muito feliz por ter dado esse passo importante para consolidar mais uma etapa na recuperação e ampliação da infraestrutura tão importante no Estado de Mato Grosso, que é utilizada não só pela produção, que gera empregos e oportunidades, mas também para o ir e vir das pessoas. É um programa que vai atingir os 141 municípios, gerando melhoria da qualidade de vida e economicidade”.
 
Do financiamento, aproximadamente R$ 255 milhões serão destinados para construir 60 pontes de concreto em diversas rodovias estruturantes como as MTs 100, 110, 130, 140 e 220, contemplando todas as regiões. Outros R$ 177 milhões serão destinados ainda para a aquisição de 5 mil metros de bueiros metálicos, 22 mil metros lineares de aduelas de concreto e 900 pares de conjuntos de vigas metálicas e lajes pré-moldadas.
 
Esse conjunto de materiais e insumos atenderá à demanda dos municípios por obras de arte especiais, tanto nas rodovias estaduais, quanto em rodovias municipais e será possível substituir pontes de madeira por pontes com estrutura de vigas metálicas, de aduelas e de bueiros, totalizando até 5 mil obras de arte especiais. Outros R$ 118 milhões serão utilizados para compra de 175 máquinas e equipamentos, sendo 100 moto-niveladoras, 30 pás-carregadeiras, 30 escavadeiras hidráulicas e 15 pranchas para a manutenção de rodovias não-pavimentadas. Essas aquisições ocorrerão por meio de parcerias com prefeituras, associações e consórcios intermunicipais.
 
“Com isso, os prefeitos vão deixar de, todo ano, trocar ponte que cai, ponte que quebra, que queima. Toda essa economia praticamente paga esse financiamento ao longo de todo o seu período. Serão 5 mil locais, onde todos os anos, ou de dois em dois anos, nós temos que investir dinheiro público para consertar e, mais um ou dois anos depois, gastar novamente. É um quebra, conserta. Então, estaremos resolvendo de forma definitiva todos esses lugares que sofrerão essa interferência. Agradeço a todos aqueles que estão trabalhando para que essas ações possam acontecer”, afirmou o governador.
 
A operação financeira é da linha de crédito do programa de Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento (Finisa), com juros de até 4,9% ao ano e prazo de amortização de 96 meses, com carência de 24 meses.  Essa é considerada a maior operação de crédito já realizada pela Caixa Econômica Federal, que foi concedida em razão da atual saúde financeira que Mato Grosso apresenta, de acordo com o superintendente em Mato Grosso, João Henrique Cruz de Oliveira. “O contrato está assinado, os recursos já estão disponíveis, cumprindo a legalidade do contrato, as licitações já foram startadas, pois se previa isso no contrato e agora, nos próximos anos, esperamos que se executem essas obras”.  “É um Estado com sua saúde financeira saneada, extremamente possível de que o contrato fosse feito”, afirmou.
 
O vice-governador Otaviano Pivetta destacou a importância da parceria da Caixa Econômica e do governo de Mato Grosso para viabilizar esse programa de infraestrutura, pois ainda são inúmeras as regiões que tem apenas o mínimo da infraestrutura rodoviária e precisam das estradas e pontes para proporcionar também saúde, educação, melhoria da qualidade de vida e dignidade aos mato-grossenses, além da geração de novas oportunidades. “O nosso governo começa a sinalizar claramente que teremos muitas ações que a sociedade espera e também o que não espera. Vamos surpreender positivamente a partir do ano que vem, graças aos ajustes feitos lá atrás. Isso significa responsabilidade e visão consequente da atuação política, que muitos não têm. Com a boa vontade dos deputados, conseguimos aprovar as medidas e leis para sanear o Estado de Mato Grosso. Com muita firmeza enfrentamos os obstáculos para chegar neste momento aqui. E a Caixa Econômica tem mostrado agilidade e integração com o Brasil e tem surpreendido também positivamente com sua atuação, sendo vital para a vida do povo”, disse Pivetta.
 
Para que os Municípios possam ser beneficiados com o programa é necessário que as prefeituras, associações e consórcios intermunicipais interessados apresentem à secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística um projeto-básico e demais documentos necessários à formalização de convênios e parcerias junto à secretaria que precisa da coordenada e a rodovia onde a ponte deverá ser executada, estudo hidrológico mostrando a necessidade da obra e uma anotação de responsabilidade técnica, explica o secretário de Estado de Infraestrutura e Logística, Marcelo de Oliveira.
 
”Essas parcerias se darão com os municípios, pois eles que conhecem os problemas. Não é a Sinfra que vai lá determinar aos prefeitos aonde instalar essas pontes. Os prefeitos têm as suas prioridades, onde eles gastam dinheiro todo ano reformando ponte e fazendo ponte. A produção de grãos de Mato Grosso não é escoada apenas nas estradas estaduais. Elas estão, principalmente, nas estradas municipais. E ali naquelas estradas é que passam com carretas, que as pontes de madeiras não aguentam, estragam e os prefeitos ficam sem recursos para manutenção. São 5 mil novos obstáculos a menos para o Estado”, resumiu.
 
Participaram do evento de assinatura o vice-governador Otaviano Pivetta,  secretário de Infraestrutura e Logística, Marcelo de Oliveira, de Fazenda, Rogério Gallo, o senador Jayme Campos, deputados federais e estaduais.